segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Sucesso administrativo escolar; tire as suas conclusões

As imagens expressam informes, mas estas aqui aparecem sem ajustes ou alterações,  esta tendência perigosa que adultera a realidade e subestima a capacidade de avaliação criteriosa do leitor, concorda comigo?  Hoje, articulo fotos e perguntas, mas futuramente, em frente à urna eleitoral, expressarei o meu descontentamento ou satisfação. Penso que as instâncias da administração escolar municipal, estadual ou federal têm satisfações a oferecer à sociedade; não é possível festejar um avanço escolar se os demais estão capengas. Você também pensa assim, prezado leitor?

Morador do Jardim Social: você matricularia o seu filho nesta escola pública? Será que as aparências enganam? - Curitiba, agosto 2010
Adorável liberdade - Os registros de hoje foram obtidos nos passeios que faço pela capital paranaense. O leitor mais antigo do Na Mira ... sabe que gosto de observar atentamente tudo o que passa sob os meus olhos. Não costumo temer as avaliações, principalmente, porque não tenho vínculos de natureza corporativa ou dívidas que estabeleçam emudecimento por este ou aquele motivo. Sou professora autônoma.

A publicidade oficial comemora, mas será que as crianças e seus pais têm motivos? - Av. Padre Anchieta, Bigorrilho, 8 agosto 2010
Arquitetura escolar - As imagens referentes à arquitetura escolar são dedicadas ao meu amigo Jarbas Novelino e também à criança e ao jovem estudante da escola pública. Avistar e usufruir de espaços escolares que respeitem a dignidade dos seus usuários será sempre uma satisfação, mas o contrário nós levará à desconfiança de que o discurso das autoridades obedece apenas ao vil interesse do voto, destituído do sentido pleno de "trabalhar pelo público". Uma escola boa não é apenas feita de paredes, gente e projetos, mas sim da articulada conjugação de elementos que traduzam atenção ilimitada ao espaço de ensino e aprendizagem.  

A aparência da conservação do espaço escolar faz positiva propaganda; espetacular é o exemplo no antigo GE Xavier da Silveira - Rebouças, arredores da UTFPR, Curitiba, agosto 2010
Interaja - A caixa de comentários é sua, caríssimo; faça bom uso das palavras diante das imagens avistadas; eu as fiz para compartilhar com você , porque ao ver as construções escolares desta querida cidade paranaense sempre fico com algumas perguntas na cabeça. Será que você também se questiona assim?

A imponência do belo prédio do Instituto de Educação contrasta com o tamanho do descaso à conservação- Centro, Curitiba, agosto,2010

* Será que os administradores públicos matriculam seus filhos, ainda crianças e jovens, nas escolas públicas?

* Será que há uma verba para manutenção e reforma dos espaços escolares? Quanto? Qual o critério para utilizá-la, caso seja necessário?

* Será que algum político(vereador, deputado, senador, ministro, prefeito ou governador) com mandato vigente estudou em escolas públicas, aqui no Paraná?

* Será que uma criança ou jovem matriculado em escolas tão mal cuidadas sentem orgulho de fazer parte do corpo discente?

* Será que os professores e as diretoras das escolas públicas costumam matricular seus filhos nesses estabelecimentos? Confiam no produto e estão satisfeitas com o estar oferecido aos estudantes? 

* Será que o cidadão atento e participativo não vê motivo algum para contestar o descaso das autoridades com relação às más condições da aparência das escolas públicas?

Detalhe - Para a informação do leitor novato aqui pela página: sou ex-aluna de escola pública e mantenho minha filha, aprovada via seleção, em escola administrada com verba do governo federal. 

Até a próxima!

3 comentários:

  1. Questionamentos oportunos. Os contrastes são muitos.Além das indagações colocadas ainda há que se pensar:
    - Se o que aparece está maculado, imaginem o que está atrás dos muros das instituições!
    - Qual seria a posição do ensino público de Curitiba no "ranking" se fosse comparado com o da mesma Curitiba de outras décadas?
    - Qual será o dinheiro gasto - de verdade - com a EDUCAÇÃO? E com o MARKETING? Os dados são confiáveis?
    - Será que há verba para o desenvolvimento da EDUCAÇÃO, além da aparência de algumas paredes?
    *Estamos falando da capital de melhor ensino público do Brasil, pela 3ª vez...Será?
    O marketing tem sido campeão e nem sempre é verdadeiro - vide 3º melhor transporte coletivo do mundo (?)(!), vide cidade mais "sustentável" do mundo.
    É a "insustentável leviandade do marketing político".

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela leitura contribuitiva, Adhemar.

    ResponderExcluir
  3. Indubitavelmente, Doralice, existem escolas públicas que são exemplo de qualidade. Parece que a seriedade e o compromisso de administrações (escolares) de outrora trataram de construir um "escudo" que preservou o "mínimo ético", tornando a manutenção da qualidade uma questão de honra para essas instituições. Nada sei a respeito das condições oferecidas na escola frequentada por sua filha, mas imagino que sejam muito boas.
    Um de nossos maiores sociólogos, Florestan Fernandes, com sua característica humildade abriu mão de ser tratado em hospitais de referência mundial (ele teria vantagens "diplomáticas" para o acesso ao tratamento)e enfrentou a fila dos hospitais públicos. Resultado: acabou sucumbindo após ser vítima de dois erros médicos. Só nessa passagem de sua importante trajetória deixou duas lições, uma de humildade e outra de que nem sempre devemos crer e arriscar!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails